Como organizar a remuneração variável de funcionários e colaboradores

Publicado em: 13/12/2021

Dicas Jurídicas - Ajorsul

Muitos empresários, quando admitem um funcionário ou colaborador, têm como intenção delimitar uma remuneração fixa (valor mínimo a ser recebido), acrescentando uma remuneração variável ao contrato. Isso se dá por algumas razões:

a) estimular o colaborador a produzir e trabalhar mais; 
b) organizar custos, uma vez que sem atingimento de metas o valor fixo é despesa menos agressiva, dentre outros.

No comércio, essa é uma prática extremamente usual, ocorrendo através de comissões, diárias, participação nos lucros, premiação com experiências (viagens, jantares....). Mesmo sendo prática comum e muito interessante para o ramo do comércio (tanto varejista quanto atacadista), alguns cuidados devem ser tomados.

O contrato de trabalho deve ter definição precisa de como essa remuneração variável será paga e calculada. A empresa também deve ter um claro plano de carreira (com hierarquia precisa de cargos), a fim de que consiga encontrar equilíbrio interno, não deixando de atentar ao mercado e sua prática.

A transparência é o melhor aliado na remuneração variável: critérios técnicos, mensuráveis e conhecidos por todos, podem evitar futura dor de cabeça tanto na Justiça do Trabalho como da própria motivação da equipe.

Carolina Zenha Saraiva

Assessoria Jurídica

Ajorsul